Paulo Lima - Na ultima hora


Não, não eu não quero!
Você não manda em mim!
Não vou agora e em nenhum instante.
Saia da minha mente vamos, adiante!
Essa corda não roda em meu pescoço.
Esse precipício não acaba meu sufoco.
Pare! Por favor, pare!
Cale a boca! para que tanta voz?
Não adianta me lembrar de tantos lamentos.
Envenenar-se para que? eu consigo. Sei que aguento!
Nem venha me levar não,
Minha vida não está na sua mão!
Eu não vou e nem me movo.
Daqui para a ponta não dou um passo.
Chore, soluce, mas eu não pulo desse penhasco.
Eu não sou louco, louco é quem não me entende.
Não sou fraco, sou forte!
Não venha apressar minha morte.
Erre o corte, trasse a vez da pessoa certa.
Vê se saí de mim, me erra!
Não, eu não estou triste, não insiste!
Nem adianta me prometer uma vida melhor,
Porque não, eu não quero, eu não sou fácil assim.
Você não manda em mim!
Fala a quem te mandou que eu estou bem.
Que você não me leva e se levar me perco no caminho.
Trilho o meu, que mesmo com espinhos tem quem me dê carinhos.
Saia! Por favor saia!
Não quero escutar.
Não quero chorar.
Não erro um passo, fico só, sozinho e escasso, mas tú volta sem mim,
Porque não é meu fim!
Não ainda, por tanto erre o corte e recolha o bote.
Não morrerei assim, ande se toque, boicote!
Tu volta sem mim,
Mas não vou pela lamina da morte!


Paulo Lima

Comentários