Paulo Lima - Flor



O que restará de nós?
Não somente ossos e facínoras lembrantes
Não somente histórias ou fatos marcantes.
O que será de nós?
Sem correntes e algemas enferrujadas?
Sem fruto de vida, nem mãos queimadas?
O que faremos nós,
É o que será fruto de mensagem
Canção que inúmeros quartetos cantam.
Flores esquecidas em bosques que senhorinhas cuidadosamente plantam.
E quando floresce, aos outros interessará.
Pois quando se investiga quem somos
O melhor de nós se encontrará.
O que viverei de mais?
Se as manhãs já não são mais as mesmas?
Se o que era chuva de emoção, aplausos e "bravos"
Hoje é tarde ensolarada?
Se o que definha em solo fervente foste dias e noites amada?
O que fará de mim, eis traços e marcas de tristeza na face
Serei angustia, dor, comoção...
O que será de nós?
Que seja de longe arapucas de emoção?
Em bosques seremos pedras, cravadas com nosso nome.
Seremos, poetas, livros, pássaros, borboletas, compositor...
Eis que um dia, seremos eternamente flor!

Paulo Lima

Comentários